Cena do Crime

‘Cena do Crime: O Assassino da Times Square’ | a avenida mais famosa do mundo nem sempre foi como a conhecemos

Jhone Silva

|

3 de janeiro de 2022

A deslumbrantemente iluminada região da Times Square, 42nd Street e Broadway já estiveram completamente imersas em escuridão. A famosa avenida como o mundo a conhece agora era totalmente diferente cinco décadas atrás. A minissérie documental de Joe Berlinger, ‘Cena do Crime: O Assassino da Times Square’, nos mostra justamente isso. Uma Times Square completamente desregrada e perversa nos anos 70 e 80.

Além disso, Cena do Crime: O Assassino da Times Square investiga como ela se tornou uma espécie de terreno fértil para um perverso assassino em série. Dessa forma, a produção aborda seu caso mapeando a ascensão da indústria pornográfica na região. Além da prostituição ilícita, ela foca também na evolução do tráfico de drogas, bem como na falta de apoio policial para as trabalhadoras do sexo.

Assassinatos em série

Em 2 de dezembro de 1979, os bombeiros responderam a um incêndio em um quarto do Travel Inn Motel, em Nova Iorque, na 42nd Street, onde dois corpos foram encontrados através da fumaça, deitados nas camas. Um socorrista rapidamente tentou reanimar uma das vítimas e foi então que ele descobriu que ela não tinha cabeça. Nem as mãos. A outra mulher foi deixada de forma semelhante, no que um detetive de polícia declarou como “a cena de crime mais limpa que ele já viu” – aspecto que, curiosamente, não volta a ser abordado na minissérie.

Cena do Crime literalmente

Sendo assim, a tentativa de disfarçar as identidades das vítimas foi amplamente bem-sucedida, devido a vários fatores que Berlinger habilmente entrelaça na trama de seu documentário. Um desses fatores era o estado relativamente primitivo da investigação criminal: os departamentos de polícia não se comunicavam, ou não podiam comunicar-se rotineiramente uns com os outros; quando assassinatos com um modus operandi semelhante ocorram em Nova Jersey, as conexões foram feitas tarde e quase por acaso.

Além disso, a evidência de DNA era uma coisa do futuro, assim como o tipo de vigilância por vídeo onipresente com que vivemos hodiernamente. As mulheres que sobreviviam pela prostituição na Times Square, geralmente eram de fora da cidade, sem rosto, sem nome, vivendo nas sombras. O assassino das mulheres do Travel Inn – apelidado pelos tabloides de “Times Square Torso Ripper” – era um fantasma. O que o fez tropeçar foi a disposição de assumir riscos cada vez maiores para satisfazer um apetite crescente por prazer depravado e sádico, impulsos que Berlinger vê refletidos na evolução da própria 42nd Street.

O protagonismo do cenário

No entanto, a história de um assassino em série aterrorizando a Times Square é, na verdade, secundária a um exame de como era a região no final dos anos 70 e início dos anos 80, e, de como ela se tornou o que era; enfocando a estigmatização que as trabalhadoras do sexo sofreram, mesmo na morte. Nesse sentido, Cena do Crime: O Assassino da Times Square vai muito além da narrativa convencional em que a maioria das documentações se enquadra ao examinar a avenida na época e a cidade de Nova Iorque em geral; em vez de apenas dizer que a região era decadente, eles examinam as origens de como ela ficou assim.

Cena do Crime times square

Além disso, eles também reconhecem que pornografia e trabalho sexual eram apenas um aspecto de uma região que, mesmo naquela época, era a “encruzilhada do mundo”, onde turismo, comércio e, sim, trabalho sexual se reuniam em um lugar fascinante. Ademais, a série acerta em olhar o impacto negativo sobre as trabalhadoras do sexo devido à Times Square se transformar em um distrito de pornografia aberto – as mulheres não podiam nem mesmo recorrer à polícia porque sua profissão era ilegal, então suas vidas (ou mortes) pareciam não ter valor.

Contudo, Cena do Crime: O Assassino da Times Square não aparenta ser um apelo pela reforma das leis que regulam o trabalho sexual; isso parece estar acontecendo de qualquer maneira, em Nova Iorque e em outros lugares. Além disso, o filme deixa claro que a AIDS, tanto quanto a pressão política, foi responsável pela retomada da Times Square.

Conclusão

Enfim, Cena do Crime: O Assassino da Times Square é um conto sensacional, até mesmo morbidamente fascinante. Portanto, se você é fã de documentários de crimes reais e está procurando um caso terrível para mergulhar, esta minissérie tem o suficiente para te cativar, mas não é tão bom quanto algumas das outras ofertas do Netflix.

Aliás, vai comprar algo na Amazon? Então apoie o ULTRAVERSO comprando pelo nosso link: https://amzn.to/3mj4gJa.

Ficha técnica – Cena do Crime: O Assassino da Times Square

Título original: Crime Scene: The Times Square Killer
Temporada: 01
Episódios: 03
Duração: 50 minutos
Diretor: Joe Berlinger
Elenco: Scott Watson, Rebi Paganini, Ralph Bracco, Khalif Cotton, Alessandra Mendez, Brendan Patrick Ward e Charlie Meany
Onde assistir: Netflix
Estreia: quarta-feira, 29/12/2021
País: Estados Unidos
Gênero: Documentário, true crime, história
Classificação: 16 anos

Jhone Silva

Um jovem paulistano que aproveita a boemia da maior cidade brasileira, embora prefira ficar trancado em seu quarto lendo, assistindo, escutando e jogando e fazendo arte. Mas sempre com uma qualidade duvidável, é claro.
8
Créditos Intergaláticos

Créditos Galáticos: 8

Livros e Quadrinhos ‘Operação Obscura’ ‘Coração Marcado’ ‘Lua de Mel com a Minha Mãe’ ‘Bubble’ ‘Rumspringa’ SEC AWARDS 2022 A Megera Domada – Crítica do Filme