Confie em Mim crítica da série minissérie Netflix onde assistir elenco data de estreia lançamento

Mesmo com alguns problemas, ‘Confie em Mim’ segura o mistério até o fim

Wilson Spiler

|

22 de abril de 2022

Baseado no romance homônimo de Harlan Coben, que também produz a série, Confie em Mim (Zachowaj Spokój / Hold Tight), nova minissérie polonesa que estreou nesta sexta-feira (22) na Netflix, é mais uma adaptação do autor para o streaming. Entre  as obras já transpostas para a tela estão sucessos como Não Fale com Estranhos, O Inocente, Fique Comigo e Silêncio na Floresta.

A título de curiosidade, se você assistiu Silêncio na Floresta, vai identificar dois personagens da série em Confie em MimAgnieszka Grochowska e Grzegorz Damięcki retornam reprisando os seus papéis como Laura Goldsztajn e Pawel Kopinski. Entretanto, trata-se de uma história autônoma e independente, funcionando apenas como uma espécie de crossover entre as duas produções.

Na trama, Anna (Magdalena Boczarska) e Michal (Leszek Lichota) são um casal feliz, que vivem em um condomínio de luxo. A relação dos dois, no entanto, começa a desmoronar desde que o melhor amigo de seu filho Adam (Krzysztof Oleksyn), de 18 anos, morreu. O jovem começa a agir de forma estranha e desaparece sem deixar rastros. Por isso, os pais começam uma busca implacável pelo garoto, mas começam a perceber que não o conhecem tão bem quanto imaginam. A situação acaba atingindo a vida dos vizinhos deles, que tentam proteger seus filhos, mas também descobrem eles não são bem o que parecem.

Entretenimento de bom nível

Em uma história cheia de segredos, mentiras e reviravoltas, Confie em Mim é mais uma adaptação relativamente interessante da literatura de Coben. Os fãs do autor certamente vão encontrar um bom entretenimento para aproveitar o fim de semana. Nada é bem o que aparenta e sempre há algo a ser revelado na trama.

Embora a direção não seja das mais inspiradas, os plots que o enredo carrega e as boas atuações, principalmente de Magdalena Boczarska e Leszek Lichota, ajudam a manter o espectador preso à telinha. Afinal, o segredo é mantido até os minutos finais da série. O exagero nesses revezes, no entanto, cansa um pouco o espectador e estende o seriado por mais do que deveria, mesmo que tenha apenas seis episódios. Algumas subtramas ou situações, por exemplo, são desnecessárias para o contexto geral e poderiam ser cortadas ou reduzidas.

Aliás, o mote da história de Confie em Mim também traz um debate relevante sobre ética e privacidade, mas, infelizmente, não se aprofunda como deveria. Enfim, a série está longe de ser uma obra-prima e sequer é a melhor adaptação de Coben, mas mantém a essência do escritor e a curiosidade do espectador através dos mistérios que a obra literária dele propõe. Ainda que o final não seja lá grandes coisas.

Onde assistir à série Confie em Mim?

A saber, a série Confie em Mim estreou nesta sexta-feira (22) no catálogo da NetflixAliás, vai comprar algo na Amazon? Então apoie o ULTRAVERSO comprando pelo nosso link: https://amzn.to/3mj4gJa.

Por fim, não deixe de acompanhar o UltraCast, o podcast do Ultraverso:

Trailer da série Confie em Mim, da Netflix

Confie em Mim (Netflix): elenco da série

Magdalena Boczarska
Leszek Lichota
Krzysztof Oleksyn

Ficha Técnica

Título original da minissérie: Zachowaj Spokój / Hold Tight
Temporada: 1
Episódios: 6
Duração: de 42 a 53 minutos
Criação: Harlan Coben
Direção: Michal Gazda e Bartosz Konopka
Roteiro: Agata Malesinska e Wojciech Miloszewski, baseado no livro de Harlan Coben
País: Polônia
Gênero: drama, policial e suspense
Classificação: 16 anos

Wilson Spiler

Will, para os íntimos, é jornalista, fotógrafo (ou ao menos pensa que é) e brinca na seara do marketing. Diz que toca guitarra, mas sabe mesmo é levar um Legião Urbana no violão. Gosta de filmes “cult”, mas não dispensa um bom blockbuster de super-heróis. Finge que não é nerd.. só finge… Resumindo: um charlatão.
6
Créditos Galáticos

Créditos Galáticos: 6

Livros e Quadrinhos ‘Operação Obscura’ ‘Coração Marcado’ ‘Lua de Mel com a Minha Mãe’ ‘Bubble’ ‘Rumspringa’ SEC AWARDS 2022 A Megera Domada – Crítica do Filme