Scalene 'Labirinto'

Scalene retoma peso do rock em ‘Labirinto’

Cadu Costa

|

10 de maio de 2022

A banda brasiliense Scalene volta aos holofotes com o lançamento de seu último álbum “Labirinto”. E podemos dizer que Gustavo Bertoni (voz), Tomás Bertoni (guitarra) e Lucas Furtado (baixo) voltaram ao peso do rock no novo trabalho. No entanto, ainda temos algumas experimentações como aconteceu em “Respiro”, disco de 2019.

A produção musical é assinada por Diego Marx. E a banda foi reduzida a um trio após saída do baterista Philipe Nogueira, o Makako, que deixou o grupo e o Brasil após participar das sessões de gravação do disco.

A banda

O Scalene surgiu como uma surpresa na segunda temporada do extinto programa “Superstar”, em 2015. Foram vice-campeões mas o peso do rock no horário nobre da Rede Globo chamou a atenção. Seu estilo stoner rock e industrial, com influências de bandas como Queens Of The Stone Age e Nine Inch Nails, deixou uma ideia de que a banda poderia ir mais longe. Talvez pelo estilo ou pelo próprio mercado do rock brasileiro, nunca foi o que poderia. Mas, ainda há tempo para o Scalene, como mostra ‘Labirinto’.

As faixas

O começo com ‘OUROBOROS” mostra a vontade de soar pesado e relevante novamente. A participação do rapper Edgar e a letra sobre ciclos da vida que se repetem transforma a ação de ouvir a música em uma boa experiência. O ritmo segue com “NÉVOA” mas é em “DISCÓRDIA” que vamos entendendo onde vamos chegar. Peso, sincronismo, viagem, parece tudo se entender no meio do barulho aconchegante.

https://www.youtube.com/watch?v=14pZDZbJExE

Há momentos calmos como a balada “TANTRA” ou “27” onde a crueza do rock também aparece mas de outro modo. Em geral, o Scalene parece procurar em “Labirinto”, um peso por fora do habitual rock. Há influências de rap, trap e eletrônicos por todo o álbum.

https://www.youtube.com/watch?v=0tSjJZxICbs

Em “1=2”, com a participação de Gabriel Zander, da banda Zander, tem bastante deste formato buscado assim como a numeral ““01010010 01001100”. “FORTUNA”, uma parceria com a banda americana o’Brother também é um dos destaques mas é a porradaria seletiva de “FEBRIL” quem revela os melhores momentos de ‘Labirinto’.

https://www.youtube.com/watch?v=pTzFEmjflUM

Conclusão

Por fim, o Scalene entrega um bom disco e que se não chega a ser surpreendente, mostra a necessidade de darmos mais ouvidos para uma banda que alia peso, melodia e existencialismo em boas doses de puro rock’n roll.

Aliás, vai comprar algo na Amazon? Então apoie o ULTRAVERSO comprando pelo nosso link: https://amzn.to/3mj4gJa.

Nesse sentido, não deixe também de acompanhar o UltraCast, o podcast do Ultraverso:

https://app.orelo.cc/uA26
https://spoti.fi/3t8giu7

Enfim, ouça ‘Labirinto’, novo álbum da banda Scalene

https://open.spotify.com/album/58apJbTiBvhV9FJPvn9cWs?si=wUkrB9ntR1O6S3tfvMMRUw

Cadu Costa

Cadu Costa era um camisa 10 campeão do Vasco da Gama nos anos 80 até ser picado por uma aranha radioativa e assumir o manto do Homem-Aranha. Pra manter sua identidade secreta, resolveu ser um astro do rock e rodar o mundo. Hoje prefere ser somente um jornalista bêbado amante de animais que ouve Paulinho da Viola e chora pelos amores vividos. Até porque está ficando velho e esse mundo nem merece mais ser salvo.
3

Créditos Galáticos: 3

Livros e Quadrinhos ‘Operação Obscura’ ‘Coração Marcado’ ‘Lua de Mel com a Minha Mãe’ ‘Bubble’ ‘Rumspringa’ SEC AWARDS 2022 A Megera Domada – Crítica do Filme