A Felicidade das Coisas crítica do filme 2022 onde assistir elenco data de estreia lançamento ficha técnica

Foto: Filmes de Plástico / Embaúba Filmes / Divulgação

‘A Felicidade das Coisas’ e a sensibilidade de enxergar onde não se vê

Wilson Spiler

|

12 de maio de 2022

Premiada curta-metragista, diretora de filmes como L e Os Irmãos Mai, Thais Fujinaga estreia na direção de longas com A Felicidade das Coisas, que ganhou o prêmio da Associação Brasileira de Críticos de Cinema, a Abraccine, na Mostra Internacional de Cinema em São Paulo de 2021, e também o prêmio de roteiro e atriz coadjuvante (Magali Biff), no FestCine Aruanda, também do ano passado.

Na trama, Paula (Patrícia Saravy) tem 40 anos e está grávida de seu terceiro filho. Com as crianças, ela se hospeda na modesta casa de veraneio que a família comprou há pouco, no litoral paulista. Além dos filhos, ela também conta com a presença de sua mãe (Biff). Entre as melhorias que pretende fazer no imóvel está construir uma piscina, mas as coisas não se mostram muito favoráveis a esse sonho. Ao mesmo tempo, seu filho adolescente está se afastando dela, descobrindo um novo mundo na medida em que amadurece.

Leia também:

Robert Eggers traz a obra definitiva da Era Viking em ‘O Homem do Norte’

‘Águas Selvagens’ peca no exagero de coincidências

Leve os pequenos para aprender e se divertir com ‘Meu Amigãozão – O Filme’

Analogia com a situação do país

O roteiro, também assinado pela cineasta, faz analogias entre os acontecimentos mais concretos do filme com a situação do Brasil num delicado momento. Em 2019, quando foi rodado, o país estava em meio a um revés político, social, cultural e econômico.  No Durante as filmagens, a ANCINE estava sendo destruída pelo atual governo. Por isso, o primeiro longa de Thais Fujinaga poderia ser o último.

A protagonista é uma mulher que experimenta uma espécie de ressaca, o refluxo de todas as coisas pelas quais ela ansiava, mas não podia ter. Mas, através dela, podemos perceber como o amor materno pode se revelar de formas tortuosas, afetado por sentimentos de ressentimento e de culpa. Ela luta contra as impossibilidades materiais como uma forma de escapar de suas frustrações e trazer alegria para a vida de sua família. Seus esforços acontecem no campo do consumo, como ter uma piscina, por exemplo. Diante de todo esse contexto, o sonho de Paula tem um simbolismo de um ‘quase lá’, da felicidade que tinha que ser adiada.

Simples, mas profundo

A Felicidade das Coisas pode parecer uma trama simples de realização de sonhos, mas tem uma profundidade muito humana em todos os seus pontos. Desde a veracidade das atuações até a mão da direção em alternar entre planos mais fechados – para sustentar a ideia de agonia – e abertos, ao conduzir diálogos entre as partes envolvidas, numa espécie de reconciliação.

A fotografia com luz natural ajuda a transmitir toda essa ideia de simplicidade que o filme transborda, bem como diálogos condizentes com o que ele apregoa. O ritmo mais lento e a sensação de não acontece muita coisa (mas acontece), podem deixar o espectador mais acostumado a blockbusters entediado. De fato, A Felicidade das Coisas é um filme para um cinéfilo mais sensível, que enxerga os detalhes por uma ótica distinta. E isso não é bom nem ruim. É apenas diferente.

Onde assistir ao filme A Felicidade das Coisas?

A saber, A Felicidade das Coisas estreia nos cinemas brasileiros no dia 19 de maio de 2022.

Aliás, vai comprar algo na Amazon? Então apoie o ULTRAVERSO comprando pelo nosso link: https://amzn.to/3mj4gJa.

Por fim, não deixe de acompanhar o UltraCast, o podcast do Ultraverso:

https://app.orelo.cc/uA26

https://spoti.fi/3t8giu7

Trailer do filme A Felicidade das Coisas

A Felicidade das Coisas: elenco do filme

Patrícia Saravy
Magali Biff
Messias Gois
Lavinia Castelari

Ficha Técnica

Direção: Thais Fujinaga
Roteiro: Thais Fujinaga
Duração: 87 minutos
País: Brasil
Gênero: drama e comédia
Ano: 2020
Classificação: 16 anos

Wilson Spiler

Will, para os íntimos, é jornalista, fotógrafo (ou ao menos pensa que é) e brinca na seara do marketing. Diz que toca guitarra, mas sabe mesmo é levar um Legião Urbana no violão. Gosta de filmes “cult”, mas não dispensa um bom blockbuster de super-heróis. Finge que não é nerd.. só finge… Resumindo: um charlatão.
3

Créditos Galáticos: 3

Livros e Quadrinhos ‘Operação Obscura’ ‘Coração Marcado’ ‘Lua de Mel com a Minha Mãe’ ‘Bubble’ ‘Rumspringa’ SEC AWARDS 2022 A Megera Domada – Crítica do Filme